RDPoesias no Ar! - Lelival da Playlist RADIOJOVEM

Bem-vindo, e-mail é lenivalnunes@hotmail.com

terça-feira, 25 de abril de 2017

Consecult realiza primeira reunião do ano dia 27

Consecult realiza primeira reunião do ano dia 27

A Secretaria de Estado da Cultura (Secult), através do Conselho Estadual de Política Cultural, promove a primeira reunião ordinária do ano, nesta quinta-feira (27), às 9h, no Hotel Village, localizado no bairro de Tambaú, em João Pessoa.

Na reunião, será apresentado a proposta de conferências livres nas doze regionais de cultura do Estado a fim de discutir a implementação do Plano Estadual de Cultura. A proposta é trabalhar, a cada mês, Audiências Públicas a fim de expor a metodologia, programas estratégicos, metas e o projeto de lei a ser apresentado na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) ainda este ano.

Na sequência, será avaliado como ponto de pauta sobre a lei “Canhoto da Paraíba”, específica dos mestres de cultura popular, que garante benefícios a artistas de reconhecido valor cultural, cujo trabalho tenha contribuido, ao longo dos anos, para formação de patrimônio cultural imaterial. Na ocasião, será debatido a proposta de um próximo edital do Registro dos Mestres das Artes (REMA) referente as vagas remanescentes, como também os encaminhamentos sobre a tramitação da Lei na Assembleia Legislativa da Paraíba.   

O Consecult é um órgão colegiado, vinculado a Secult, com atribuição normativas, deliberativas, fiscalizadora das políticas de cultura do Estado.

​Fotografia: Gregório Medeiros​
-- 
José Gregório de Medeiros Neto
Secretaria de Estado da Cultura
gregorio.neto.medeiros@gmail.com
(83) 98828.9639/99841.1970

Cultura

SomTemporaNeo no Black Jack Bar

O SomTemporaNeo é formado por Daniel Pina (contrabaixo) e Felippe Francis (violão) e traz no repertório toda sua versatilidade musical. O SomTemporaNeo é um mix de influências da música pop e também erudita, passeando por estilos distintos com muita personalidade, requinte e bom gosto, com arranjos ousados e clima descontraído. 

Serviço:
SomTemporaNeo no Blak Jack Bar
Data 26/04/17 - quarta-feira
Horário: 19h
Local: Black Jack Bar - Av. Manoel Morais, 140 - Manaíra
Couvert: R$ 10 
Siga: @blackjack_bar

domingo, 23 de abril de 2017

Da Defensoria Pública

 Defensoria Pública cria projeto para reduzir superendividamento dos consumidores

Parceria entre empresas e órgãos possibilitará acordos extrajudiciais para solução de dívidas

Com o objetivo de proporcionar melhores condições para que os consumidores possam negociar suas dívidas extrajudicialmente com as empresas credoras, a Defensoria Pública do Estado de Sergipe, através do Núcleo do Consumidor, criou o “Superendividamento”.  O projeto busca, através de parcerias com empresas e órgãos, rápida solução dos débitos dos consumidores de forma célere, evitando que as questões sejam levadas à justiça.

Para o defensor público coordenador do Núcleo do Consumidor, Orlando Sampaio, o superendividamento é um fenômeno comum entre as pessoas que gastam mais do que podem suportar financeiramente. “As dívidas intermináveis comprometem o rendimento mensal do consumidor, levando ao superendividamento, principalmente quando o débito é referente a cartões de créditos e empréstimos bancários. Ao perceber essa realidade, a Defensoria buscou criar um projeto para proporcionar aos consumidores superendividados espaço específico para que possam negociar suas dívidas, de modo a proteger sua subsistência”, disse.

A representante da Cenconsud, Grasielle Souza, aprovou a iniciativa da Defensoria Pública. “Vejo esse projeto de forma positiva, o que demonstra interesse em solucionar os conflitos buscando sempre a resolução sem judicializar. É também uma forma de resolver não só os débitos de cartões de crédito, mas também vícios de produtos e outras demandas relacionadas ao Gbarbosa. Vamos buscar também acordos analisando cada caso para redução dos juros por atraso”, garantiu.

De acordo com o assessor jurídico da DESO, André Luiz Pereira, o interesse da empresa é se somar ao projeto. “A política da DESO é no sentido de resolver as demandas de forma consensual. Se for possível para a Defensoria fazer uma triagem e encaminhar para nós de forma oportuna e nos dando tempo para que possamos identificar a retidão e veracidade das alegações, vamos rever as contas e evitar ações judiciais. Estamos entusiasmados com o projeto e vemos essa iniciativa da Defensoria com bons olhos”, destacou.

O representante da Energisa, Wellington Aranha, garantiu a adesão da empresa ao projeto. “A Energisa enxerga com bons olhos a parceria com a Defensoria a fim de mitigar e diminuir a questão das possíveis judicializações, que nos últimos anos têm sido crescente em função da crise financeira, o que tem motivado as pessoas a buscarem os seus direitos. A Energisa já participa de projetos similares ao da Defensoria com o Tribunal de Justiça, através de mutirões de conciliação e negociação de dívidas”, reforçou.

A defensora pública, Augusta Bezerra, afirmou que as empresas serão convocadas para viabilizar uma parceria através de convênios. “Já iniciamos um entendimento com a DESO, Energisa, Gbarbosa e Bom Preço. Planejamos chamar bancos e outras instituições que tenham a intenção e boa vontade de aderir ao projeto. Iremos celebrar convênios para realizar mutirões permanentes de solução extrajudicial”, pontuou.

Fim de curso de delinquentes

FIM DE CURSO DE DELINQUENTES


Por Humberto Pinho da Silva


Recentemente, um grupo numeroso de finalistas do ensino secundário, foi de excursão a Espanha.
Estranhei, que em lugar de professores (será que foram?) eram acompanhados e vigiados por agentes de autoridade e pela agência que organizou o passeio.
Mas, mais estranho é, que uma vez instalados no hotel de quatro estrelas, tenham tomado atitudes de arruaceiro:
Sujaram paredes; escreveram nas portas; lançaram colchões pelas janelas; brincaram com extintores de incêndio; e outras tropelias impróprias de gente civilizada.
Curioso é, que ao comentarem a ocorrência, houve quem afirmasse: que  casos semelhantes – e até piores, – tem acontecido em anos anteriores, com estudantes!
Houve mesmo quem aprovasse, declarando: que tinham seguro, e que o hotel já devia saber: que em passeios de fim de curso, há sempre excessos e destruição…
Querem dizer: os adolescentes, os futuros doutores… e educadores, comportam-se como os criminosos! …
Há exagero, bem sei, na comparação, mas verdade é: tanta violência e desrespeito pela propriedade alheia, é fruto da má ou nenhuma educação, que receberam.
Não me venham dizer: “São jovens, querem divertir-se “, porque também participei em passeios de estudantes, e nunca se comportaram como marginais! …
A culpa do desvario, não é dos jovens, mas dos pais e das autoridades – diria melhor da sociedade, – que tudo desculpam e parecem terem medo de dizerem: “NÃO”.
A coletividade está, infelizmente, cada vez mais violenta:
O Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses, revelou: que, em Portugal, a violência no namoro, aumentou 60% em três anos!
A maioria das vítimas são mulheres, mas o número de homens, tem aumentado (de 2014 a 2016, teve uma subida de 83,3%!).
 A razão plausível de tanta violência – que já chegou ao interior, – é a má educação que os jovens – de ambos os sexos, – recebem.
Até no desporto – onde devia haver “ espírito desportivo”, se verifica o recrudescimento da violência! …
O único caminho, é: responsabilizar os jovens, e educá-los à “ moda antiga”.
Não é preciso bater: basta “ obrigá-los” a respeitarem: os pais, os avós, os professores e os idosos.
Se conseguirem isso, é meio caminho andado.
Mas é bom lembrar, o que diziam os antigos:
“É de pequenino que se torce o pepino”…







sábado, 22 de abril de 2017

Achegas para a harmonia no lar

ACHEGAS PARA A HARMONIA NO LAR




Por Humberto Pinho da Silva


- “ Depois de casado, ele modifica-se…” – dizia certa mocinha a sua mãe, convencida que o matrimónio era uma espécie de varinha de condão, que tudo transforma ao nosso belo prazer.
Mas não é.
Realmente modifica; mas não é repentinamente. Essa modificação, demora anos, por vezes décadas…
A personalidade do conjugue foi formada pela: educação recebida; ambiente em que viveu; experiências que teve; traumas que passou na infância e na adolescência.
É preciso, quantas vezes, realizar esforço, quase titânico, para aceitar o parceiro.
Se é verdade que a personalidade dos casais, pouco a pouco tende a assemelharem-se, porque recebem influências idênticas; também é verdade, que a personalidade não é estável. Está sempre em constante evolução: por vezes para melhor, outras, infelizmente, para pior.
A mocinha que dizia à mãe, que o noivo, depois de casado, modificava, falava verdade… mas não toda.
No caso apresentado, o casamento não alterou – a não ser no inicio, – o carácter do marido nem o espírito de Dom Juan.
Decorridos anos, conquistou os favores de mulher elegante, de boa posição social. Com ela vangloriava-se diante dos amigos, e entrava de braço dado nas festas que frequentava, enquanto a mulher ficava no lar com os filhos…
Alertada pelas amigas, fez de conta que não entendia; até que a melhor amiga, interrogou-a: “- Não tens vergonha de ser assim ultrajada?! …”
Abriram-se, então, os olhos, e vendo a situação ridícula em que vivia, pediu divórcio, apartando-se daquele que lhe havia feito promessas de amor eterno.
A vida conjugal é feita mais de pequenas renúncias, que de grandes conquistas…
Para haver harmonia no lar, é mister que ambos tentem agradar-se mutuamente, privando-se, por vezes, de desejos e prazeres, para que o outro se sinta feliz e retribua.
O amadurecimento da personalidade de cada um, realiza-se lentamente, muito lentamente, e depende muito da escolha que se fez:
Se ambos tiverem gostos semelhantes, religião, cultura, e principalmente forem crentes convictos e tementes a Deus, a harmonia surge facilmente, porque a vida conjugal não é apenas física, mas espiritual.
Problema sempre difícil de solucionar, que se agudizou nos dias de hoje, é o facto de, a mulher, usufruir rendimento superior ao marido.
A mente masculina custa-lhe aceitar a situação de inferioridade, seja cultural ou monetária.
Jovem médico desistiu de casar com colega, porque esta, além de ser considerada competentíssima, recebia vencimento superior ao seu…
Dificuldade – que não é difícil de ser ultrapassada, desde que haja compreensão e boa vontade de ambos, – mas que sempre foi problema para a felicidade do lar.
Na “ Carta de Guia de Casados” o nosso clássico, D. Francisco Manuel de Mello, recomenda, igualdade: “ no ser, no saber e no ter.”
Em suma: o casamento não resolve todos os problemas, por vezes, complica; mas os conjugues, que buscam a felicidade, não devem descurar pequenos grandes conselhos, que suavizam as relações:
Não criticar; ser atencioso; interessar-se pelos sucessos do conjugue; e sobre tudo: aceitá-lo como é: com os defeitos e limitações…

Não há ninguém perfeito…

Ecumenismo é paz no planeta - Por Paiva Netto

Ecumenismo é Paz no planeta

Reflexões da Alma, título que lancei em 2008, em terras lusitanas, segue a Ideologia do Bom Samaritano, tão bem acolhida pelo ilustre povo português, acerca da qual escrevi na revista BOA VONTADE, número 197, de janeiro de 2005: ajudar o próximo e esclarecê-lo, espiritual e intelectualmente, para que saiba enfrentar os inúmeros desafios cotidianos e consiga erguer uma jornada de vitórias. E conforme elucidei em Como Vencer o Sofrimento(1990), quando o ser humano se esmera em aprimorar-se no Espírito, tudo melhora à sua volta. A saída está em educar ecumenicamente.
O Ecumenismo Divino é uma questão a ser realizada, pois o estado do mundo real infelizmente é, sob diversos aspectos, ainda este: “Mesmo que seja certa a proposta de outra criatura, se não é do meu rebanho, não interessa”. A solução, portanto, para tamanho absurdo é o Ecumenismo, do qual tanto lhes falo nas múltiplas publicações da Editora Elevação e na mídia eletrônica, destacando-se a internet. Exemplificando que a Boa Vontade é o elo de sapiência que nos une como seres espirituais e terrenos, porque a vida na Terra começa no Céu, exponho nos meus escritos e palestras o pensamento de gente dos incontáveis redis religiosos, políticos, científicos. E, universalizando, ideológicos. Esses meus Irmãos em humanidade, quando trazem em si e nos seus textos uma extensa variedade de expressões em que todos podemos, com um mínimo de Boa Vontade, encontrar-nos, demonstram, assim, que o Ecumenismo é verdadeiramente instrumento de Paz num planeta em que qualquer diletante promove a guerra. Mas “se queres a Paz, prepara-te para a Paz”, já dizia Rui Barbosa (1849-1923). Concordo com Vinicius de Moraes (1913-1980), o saudoso poetinha — como ficou conhecido o inesquecível parceiro de outro gênio da Bossa Nova, Tom Jobim (1927-1994) —, que, com sua peculiar inspiração, versejou: “Você é, ao mesmo tempo, um coração que bate e um único batimento nesse corpo chamado humanidade”.

* José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

-- 
Jean Carlos
Assessoria de Comunicação LBV
Jornalista - DRT/PB 3651 
(83) 3198-1500 / (82) 3328-4410
(83) 9654-0900 / (83) 8832-0013 (whatsapp)

Rádio Cidade FM - História

 RÁDIO CIDADE FM – HISTÓRIA:

Para se conseguir um canal de Rádio Comunitária no Ministério das Comunicações não é uma luta fácil, além da grande burocracia enfrentada ao longo de um processo licitatório desgastante, cansativo e, ao final, depois de conseguir a concessão do canal, manter uma emissora de rádio FM no ar, torna-se uma tarefa árdua e bastante difícil, principalmente numa região pobre como o sertão paraibano, pois os custos dos equipamentos e da manutenção são muito elevados e não existe qualquer verba oficial que cubra essas despesas, além do comércio não poder pagar o valor realmente condizente com os custos de uma mídia radiofônica.

Em dezembro de 2005, o Ministério das Comunicações abriu o AVISO DE HABILITAÇÃO nº 20/2005, para a cidade de Catolé do Rocha – PB, oferecendo um canal de rádio comunitária às entidades interessadas em executar esses serviços de radiodifusão em nossa cidade.
Após encerrar o prazo de 45 dias concedido às entidades interessadas, pelo Ministério das Comunicações, constatou-se que apenas 2 entidades haviam concorrido em Catolé do Rocha: a Associação Amigos do Bairro (que tinha em seus quadros o prefeito Dr. Leomar Maia, o ex-prefeito Edvaldo Caetano, o radialista Humberto Vilta, entre outros) e a Sociedade de Proteção à Infância e à Maternidade “Silva Mariz” (que tinha em seus quadros os ex-prefeitos José Otávio Maia, Lauro Sérgio Maia, entre outros).   
Mas, como nada acontece por acaso, Deus fez com que o Ministério das Comunicações prorrogasse o prazo de habilitações de entidades interessadas por mais 45 dias. Foi aí que entrou a ACOMCAR-ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DE COMUNICAÇÃO E CULTURA DE CATOLÉ DO ROCHA, presidida pelo advogado e radialista OSNI NUNES, inscrevendo-se como mais uma entidade interessada em executar os serviços de RadCom na cidade de CATOLÉ DO ROCHA - PB.
Após o final desse prazo, o Ministério das Comunicações iniciou a análise da documentação apresentada pelas 3 entidades e concluiu, ao final, que a ACOMCAR era a vencedora do Aviso de Habilitação oferecido para a exploração dos serviços de Radcom na cidade de Carolé do Rocha.
Foram mais 5 anos de espera e exigências de novos documentos quando, finalmente, em 29 de dezembro de 2010, o Ministério das Comunicações publicou a Portaria nº 519, autorizando a ACOMCAR a executar os serviços de Radiodifusão comunitária em nossa cidade.
Com pouco dinheiro para comprar os equipamentos para colocar a CIDADE FM no ar, o presidente da ACOMCAR, Osni Nunes, comprou quase todos os equipamentos no cartão de crédito e usou o pouco dinheiro que dispunha na época (algo em torno de R$ 5.000,00) para pagamento dos serviços que seriam realizados por terceiros e a compra de outros equipamentos que só eram vendidos à vista.
Para colocar a CIDADE FM no ar, o radialista OSNI NUNES contou com o apoio de um amigo seu, ROBSON OLIVEIRA, que também tinha experiência no rádio.
Um entrave que dificultou muito o início do funcionamento da emissora (aliás, é uma curiosidade que quase ninguém sabe), foi a instalação da torre de 24 metros de altura. Foram contratadas 3 equipes de Catolé do Rocha –cada uma acertou a instalação desse equipamento, mas não teve disposição para cumprir o contratado-, tendo os dirigentes da CIDADE FM que contratarem uma equipe de um provedor de internet da cidade de Jucurutu – Rn, que veio a Catolé do Rocha realizar esse trabalho.
Finalmente, no dia 26 de março de 2011, a CIDADE FM entrou no ar em caráter experimental, só tocando músicas, durante 24 horas por dia.
Durante o período em que estava em fase experimental, Osni Nunes e Robson Oliveira fizeram uma seleção para recrutar locutores para integrarem a programação da rádio, que iria ao ar dentro de, no máximo, 30 dias.
No dia 20 de abril de 2011, finalmente a CIDADE FM colocou no ar, em caráter definitivo, sua programação normal no ar, que continua até os dias de hoje, 24 horas por dia–aliás, a única emissora da cidade que fica direto com sua programação no ar.
Passaram pela CIDADE FM, os seguintes profissionais: Robson Oliveira, Beto Fuska, Mário Jr., Janine Targino, Ozenildo Júnior, Wesley Dantas (que faleceu recentemente), Eli Cavalcante, Domício Filho, Lenival Andrade, Leila Gonçalves,André Pereira, Isley Freitas, Sinthya Karla, Jota Fernandes eMarcelo do Carmo.
Outra importante conquista foi a colocação, no ar, do site da emissora na internet, desde o 1º dia de funcionamento –quando então nenhuma emissora de Catolé do Rocha tinha site- para que catoleenses e seus familiares, que residem nas mais longínquas cidades do país e até do exterior, possam ouvir nossa programação, em tempo real, de qualquer lugar do planeta, e também interagir com os nossos apresentadores, além de ficarem sabendo AO VIVO, a qualquer hora do dia ou da noite, as notícias de CATOLÉ DO ROCHA e região, já que nossa programação permite ouvirmos músicas e informações durante as 24 horas do dia.
Apesar das dificuldades por que passa uma emissora de rádio de pequeno porte como a CIDADE FM, mas, graças ao profissionalismo e dedicação de todos os seus profissionais, a CIDADE FM conquistou, ao logo de sua história, índices invejáveis de audiência: em duas pesquisas de opinião pública realizadas, a CIDADE FM conseguiu 70 % numa e 73 % na mais recente, comprovando que a programação da emissora tem uma excelente aceitação em Catolé do Rocha e toda a região.
Atualmente, a CIDADE FM conta com os seguintes profissionais em seus quadros: Osni Nunes, Clodoaldo Medeiros, Humberto Vital, Damião Mendes, Jan Oliveira, Waliton Dantas, Johnantas Guedes, Jaércio Carlos, Laíre Caroba, Zé Luiz (técnico de áudio/externas) e Nayara Costa (recepcionista).
Também fazem parte da CIDADE FM: Prof. Pedro Neto, Véi Urêa e Ricardo Brilhante.
Desde que entrou no ar, com uma programação variada, atendendo ao público de todas as idades, a CIDADE FM vem se mantendo num lugar de destaque, mantendo o 1º lugar em Catolé do Rocha e região, com uma audiência que gira em torno de 73 %, mantendo-a sempre na vanguarda.
A história da radiofonia catoleense tem duas fases bem distintas: antes da CIDADE FM –quando de praticava o velho “feijão com arroz” no rádio- e depois da CIDADE FM, pois a emissora, além de servir como laboratório para lançar no mercado profissionais que nunca tiveram antes a oportunidade de trabalhar em rádio e saíram preparados para o mercado de trabalho, a CIDADE FM também passou a ditar normas na radiofonia catoleense, tendo revolucionado o setor, sempre inovando e lançando práticas e promoções inéditas, que serviram de norte para outras emissoras de rádio, não só da região, mas de outras cidades do país, que passaram a ouvir a programação da CIDADE FM como uma obrigatoriedade necessária de aprendizado para aqueles que querem crescer em matéria de rádio.
Ressalte-se que, atualmente, a CIDADE FM conta com um grupo de ouvintes na grande São Paulo, formada por cerca de 600 pais e mães de famílias oriundas do Nordeste, notadamente do sertão paraibano, além de vários ouvintes em outros Estados da federação, a exemplo do Rio de Janeiro, Distrito Federal, Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul e os Estados das regiões Norte e Nordeste, bem como ouvintes no exterior.
Neste dia 20 de abril, data em que a CIDADE FM completa 6 anos com sua programação normal no ar, durante 24 horas por dia,não tem outra festa a ser feita a não ser agradecer a Deus por esse importante presente celestial e aos inúmeros ouvintes que se tornaram membros dessa família que não para de crescer.
Enquanto quase todas as emissoras de rádio do Brasil são conseguidas por força política que atuam com lobby no Ministério das Comunicações, a CIDADE FM não teve a colaboração de nenhum deles, constituindo-se tão-somente um presente concedido pela poderosa mão de Deus.
É por isso que, ao chegar em frente à sede da CIDADE FM, verifica-se logo uma frase escrita na fachada da emissora, onde consta: PRESENTE DE DEUS. É um pouco do agradecimento ao Todo-Poderoso, da direção e de todos os que fazem essa importante emissora de rádio, que tornou-se um marco na história da região polarizada por Catolé do Rocha – PB.